GEAP

Sindprev/BA e Entidades repudiam aumento abusivo da Geap

No dia 17 de novembro foi aprovado o reajuste de 37,55% no plano de saúde dos servidores públicos federais, para tentar cobrir parte do déficit de R$ 466 milhões, que levou a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar, a intervir na Geap.

O Conselho de Administração da operadora, formado por 03 membros eleitos pelos funcionários e 03 pelo governo, empataram na hora de decidir pelo aumento, pois os servidores discordaram e propuseram um percentual de 22,5%. Mas a decisão acabou prevalecendo, com o voto de minerva do presidente do colegiado, Ronald Acioli da Silveira, representante do Ministério do Planejamento, indicado pelas patrocinadoras.

A correção, que será válida a partir de 1° de fevereiro de 2016, ficará muito acima da aplicada pela maioria dos convênios privados, que elevou as mensalidades entre 17% e 23%.

Em nota conjunta as entidades: ANFIP – Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil, Anasps – Associação Nacional dos Servidores da Previdência Social, Anpprev – Associação Nacional dos Procuradores e Advogados Públicos Federais, CNTSS – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social e Fenadados – Federação Nacional dos Empregados em Empresas e Órgãos Públicos e Privados de Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares, divulgaram no dia seguinte, 18 de novembro, nota conjunta de repúdio ao reajuste. O Sindprev/BA também se volta contra esse aumento abusivo, fora da realidade dos servidores que usufruem do plano de saúde. Assim, as entidades solicitaram uma audiência no Supremo Tribunal Federal, Ministério Público Federal/DF, Tribunal de Contas da União e Procuradoria Geral da República e ANS para debater a atual situação da Geap e as diversas pendências judiciais administrativas sobre o plano de saúde. A mesma estratégia será utilizada junto aos Parlamentares no Congresso Nacional, e se for o caso avaliar as medidas judiciais cabíveis.

As entidades ressaltam que os servidores públicos federais já sofrem com a defasagem salarial agravada pela imposição de reajuste muito aquém das perdas acumuladas, e adiados em prol do ajuste fiscal. O aumento abusivo aprovado pela Geap contribui mais ainda para a pauperização do funcionalismo.

Em defesa da saúde do Servidor Público Federal! Por mais transparência na Geap!

Clique aqui para ler a íntegra da Resolução nº 99 do Conad, na qual as entidades não são de acordo.

Clique aqui e veja o ofício enviado à ANS

Clique aqui e confira a nota de repúdio entregue pelas entidades a Geap.

ASCOM SINDPREV/BA – com informações da ANFIP

Post anterior

Mais cartas da paridade são entregues pelo Sindprev/BA

Próximo post

Sindprev/BA presente na Marcha das Mulheres Negras

sindprevbaorg

sindprevbaorg

Nenhum comentário

Deixe um comentário