NOTÍCIAS

Sindprev/BA realiza ato contra a privatização no Octávio Mangabeira

Luto pela Saúde

O Sindprev/BA realizou na manhã de hoje (13) um ato em frente ao Hospital Octávio Mangabeira, no Pau Miúdo, para reivindicar a a privatização da unidade. O diretor da Secretaria de Organização, Edivaldo Santa Rita e a diretora da Secretaria de Formação Política Sindical, Alindai Santana, estavam à frente do ato convocando funcionários e usuários para aderir a luta.

“Hoje estamos realizando mais uma manifestação em função da medida tomada pelo Secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas que está com projeto articulado com o Governador, Rui Costa, para privatizar o Octávio Mangabeira. Sabemos da importância dos serviços que são prestados para a população, como asma, tuberculose, fibrose cística, laboratório, pneumologista infantil, sem ser nada dialogado com a sociedade. Por isso que o Sindprev/BA esta aqui”, exclamou Santa Rita.

O sindicato esta aguardando a marcação da audiência pública com o Secretário de Saúde e estará disponibilizando um ônibus para levar todos que queiram está presente para dialogar e questionar. Todos foram pegos de surpresa, tanto os pacientes quanto os servidores, e encontram-se aflitos com a incerteza do futuro.

“É importante que a população saiba o que esta acontecendo, é importante que as pessoas saibam que esse hospital desde 2012 vem sendo sucateado, com quase 70 leitos inativos, é por isso que as pessoas não acham vaga para se internar aqui. Hoje só temos 145 leitos funcionando, não tem agenda aberta para que as pessoas sejam atendidas. Um hospital que era centro de referência, que serve a população há 74 anos com pacientes com doença crônica”, desabafou indignada a assistente social, Virginia Perrucho, funcionária pública com 28 anos trabalhando no Octávio Mangabeira.

Com a possibilidade de a qualquer momento servidores sejam distribuídos para outras unidades, por uma medida economicista do governo, o clima no hospital é de pânico, com um grau enorme de desgaste a cada dia. A maior preocupação dos servidores inclusive é uma provável epidemia que pode acarretar na cidade e no estado com pacientes tuberculosos colocados em outros hospitais, sem contar com uma assistência especializada, deixando de ser atendidos por funcionários treinados que trabalham há mais de 20 anos no hospital.

“A realidade é muito difícil, nos que trabalhamos na área de saúde sabemos a dificuldade que temos todos os dias e fica mais difícil ainda quando vemos um hospital desse porte com a história que tem, fechar , se privatizar. A nossa proposta é que os funcionários estejam passando a situação para os usuários , vamos precisar se unir”, declarou Alindai.

Os diretores do sindicato convocaram todos para participar da manifestação de rua contra a Reforma da Previdência, que se encontra em discussão no Senado, e contra a aprovação da PEC 55, antiga PEC 241, às 15h no Campo Grande até a Praça castro Alves.

ASCOM SINDPREV/BA

Texto: Priscila Teixeira

Fotos: Luis Teixeira

Post anterior

INSS vai contratar 150 candidatos aprovados em Concurso Público

Próximo post

PEC 55, que congela gastos sociais, é aprovada em 2º turno no Senado

sindprevbaorg

sindprevbaorg

Nenhum comentário

Deixe um comentário