DESTAQUE

Sindprev/BA realiza Ato no Dia do (a) Assistente Social

Luta Social

A data de hoje, 15 de maio, celebra o Dia do (a) Assistente Social, embora a classe não tenha nada a comemorar e muito a lutar. Lutar em Defesa dos Serviços Previdenciários, Serviço Social e Reabilitação Profissional.

Os direitos dos usuários/segurados da previdência e assistência social estão sendo desmontados e ameaçados de extinção com a Reforma da Previdência.

Representando o Sindprev/BA estavam presentes os diretores da Secretaria de Organização, Edivaldo Santa Rita e Walter Cândido, o diretor da Secretaria de Administração e Finanças, também vice-presidente da CUT-BA, Valdemir Medeiros, a diretora da Secretaria de Formação Política e Sindical, Alindai Pereira, a diretora da Secretaria de Políticas Sociais, Lucivaldina Brito, além do representante da CNTSS/CUT, Raimundo Cintra. O presidente da CUT-BA, Cedro Silva, também esteve na mobilização.

Marcaram presença também as Assistentes Sociais do Sindprev/BA, Alaise Santos e Joselice Ana Oliveira, a diretora do Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado da Bahia – SASB, Marleide Castro, e as Assistentes Sociais da Previdência Social.

“O povo tem que se manifestar contra a Reforma da Previdência, é por isso que estamos aqui, mais uma vez, no dia do Assistente Social, profissional este que tem papel fundamental na assistência à população”, disse Santa Rita.  “Não podemos separar à assistência social da Previdência. Não haverá profissional para orientar os trabalhadores, o assistente social é que está à frente dessas orientações”, concluiu o diretor.

De acordo com Walter Cândido, é importante colocar para a sociedade o quanto essas pessoas trabalham e desempenha importantes funções. “Estamos aqui para dizer que os previdenciários precisam de respeito, a população precisa de respeito, e esses profissionais prestam serviços de extrema importância aos cidadãos. A Reforma da Previdência e Trabalhista só retira o direito dos trabalhadores, o que causará um caos social. É diante da nossa unidade, construção e organização que vamos vencer esses absurdos do Governo”, afirmou Walter.

De acordo com Márcia de Jesus, assistente social da Previdência Social, existe um processo de perseguição com esses profissionais dentro da própria instituição, onde representantes técnicos foram exonerados sem nenhum compromisso, tanto nas Superintendências Regionais como na Direção Central. “Isso é uma forma do Governo minar a nossa organização quanto classe trabalhadora, porque nos sempre estivemos nos colocando a favor dessa classe, porque entendemos que todos são trabalhadores, contribuindo ou não. Desde 2009 faço avaliação social de benefício para pessoas com deficiência e hoje  se fala em nos tirar dessa avaliação social , porque nos esclarecemos essa pessoas com deficiência, além de avaliarmos também o aspecto social e a acessibilidade para essas pessoas publico”, explicou Márcia. “Esse governo golpista esta começando a fazer isso através da exoneração de nossos cargos e hoje estamos sem um direcionamento profissional, estamos aqui para nos colocar e dizer que estamos a serviço da população, a favor dessa luta, contra essa reforma e nenhum direito a menos” desabafou a assistente social.

De acordo a diretora do SASB, Marleide Castro, as pessoas não entendem o trabalho do assistente social, que é interventor, mediador – sabe fazer o encaminhamento, sabe reconhecer, esclarecer. Está na linha de frente de inclusão social do país. “Precisamos lutar, nos unir, essa proposta de Michel Temer de voltar ao assistencialismo é um retrocesso para a nossa profissão”, afirmou ela.

Valdemir Medeiros enfatizou a importância de se ficar atento com essas reformas e parabenizou todas as assistentes sociais ressaltando a importância do seu papel. “Temos duas funcionárias que são assistentes sociais no Sindprev, dos poucos sindicatos da Bahia que tem assistente social, pois nos acreditamos na ampliação de emprego em todo o país e tem que iniciar pelos sindicatos. Muitos pensam que a profissão de assistente social é para acalentar e não é. É muito mais orientadora que acalentadora. Nos acreditamos nisso e fizemos na nossa gestão essas duas companheiras que estão hoje fazendo um belíssimo trabalho”, disse Valdemir.

“Temos um serviço social no Sindprev na qual a gente atende os servidores aposentados, aqueles que a gente procura saber como esta a vida em casa com os seus familiares, como esta sendo usada a aposentadoria, de forma correta, como esta a saúde. A gente sabe que hoje quem aposentou muitas vezes foca abandonada, então a gente esta lá para poder fazer esse serviço, fazer esse acolhimento, orientar a categoria, vamos à luta!”, explicou Alaise.

De acordo com Cedro Silva a luta continua e não podemos desanimar. “Estamos na Semana de Mobilização Permanente, promovendo durante toda a semana paralisações, denunciando a retirada de direito dos trabalhadores e o retrocesso que estão querendo fazer. Na próxima semana iremos ocupar Brasília, colocando mais de cem mil trabalhadores no Congresso Nacional para fazer o enfrentamento lá dentro”, declarou o presidente da CUT-BA.

Nenhum direito a menos! Em defesa do direito dos Trabalhadores!

ASCOM SINDPREV/BA

Texto: Priscila Teixeira

Fotos: Luis Teixeira

Post anterior

Sindprev/BA realiza homenagem para o Dia das Mães

Próximo post

Planejamento reitera que pagamento de valores da incorporação de gratificação na aposentaria deve ocorrer em junho

sindprevbaorg

sindprevbaorg

Nenhum comentário

Deixe um comentário