NOTÍCIAS

SINDPREV-BA na 1°Conferência Estadual de Saúde das Mulheres da Bahia

A conferência é realizada pela primeira vez na Bahia e surge com o objetivo de fortalecer com debates as diretrizes e mecanismos para implementação e busca da contribuição para a Política Estadual de Atenção Integral à Saúde das Mulheres.

Com o tema “Desafios para a integralidade com equidade”, começou, na tarde desta segunda-feira (31), a 1ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres, no Fiesta Bahia Hotel, no bairro da Pituba, em Salvador. O evento foi aberto com palestra da médica Maria José de Araújo, da Rede Nacional Feminista de Saúde e Direitos Sexuais Reprodutivos.

O objetivo do evento é também propor diretrizes para a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres, contemplando as políticas de equidade: da população Negra (racismo, desigualdades étnico-raciais e racismo institucional), da População LGBT (discriminação por orientação sexual e identidade de gênero/preconceito e estigma social), da População em situação de Rua (reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos), da População do Campo, da Floresta e das Águas (redução de riscos decorrentes dos processos de trabalho e das tecnologias agrícolas).

Foram discutidas formas de melhorar a rede atendimento sob a perspectiva de quatro pilares: “O papel do estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres”; “O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres”; “Vulnerabilidade nos ciclos de vida na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres”; “Políticas Públicas para Mulheres e Participação Social”.

As propostas dos temas colocaram em evidência a questão sobre o controle social do Sistema Único de Saúde (SUS), segurança, gênero, raça, etnia e humanização do parto, práticas complementares e integrativas ao SUS, e as relações de trabalho.

A 1ª Conferência Estadual de Saúde das Mulheres possibilitará ampliar a mobilização e o engajamento das mulheres, dos movimentos sociais de mulheres e de parceiras com a agenda de resistência e de lutas contra qualquer retrocesso, na cultura e na política, pela igualdade de gênero e garantia da atenção integral à saúde das mulheres.

Para o secretário estadual da Saúde, o evento é fundamental para debater a saúde da mulher em todos os aspectos. “Vamos discutir a saúde em conceito amplo sobre os direitos das mulheres em todas as fases da vida”, diz o secretário. Ele ainda informa que, a partir das discussões locais, será elaborado um documento para a conferência nacional.

A expectativa do Conselho Estadual de Saúde – Bahia (CES) é que esta Conferência seja a efetivação do Controle Social no SUS para a saúde das mulheres.

O conjunto das propostas em todos os eixos temáticos demonstra alguns aspectos que precisam ser colocados na pauta do controle social do SUS, como as questões do acesso, segurança, gênero, raça, etnia, humanização do parto, práticas complementares e integrativas ao SUS e, principalmente, as relações de trabalho.

Estará instalada durante a Conferência, a Tenda Maria Felipa, homenageado uma personagem histórica na Bahia, a revolucionária Maria Felipa de Oliveira. Heroína, ainda que pouco conhecida, viveu na Bahia no século XIX e teve um importante papel na Guerra da Independência, que ocorreu entre 1822 e 1824. Um espaço de circulação ampla, com a organização de atividades em formato de rodas de conversas, a partir de uma adaptação da ideia dos círculos de cultura freireanos.

Esse tipo de espaço vem sendo organizado pelos coletivos nacionais de Educação Popular em Saúde em vários eventos da área da saúde, surgindo da necessidade de um ambiente propício à liberdade de expressão, debate político e produção de cultura nesses eventos. É um espaço educativo coletivo, que oportuniza aos trabalhadores da saúde, estudantes, representantes de movimentos sociais e populares darem visibilidade às suas ações e, por outro lado, possibilita uma experimentação diferenciada relativa à construção do debate político na área da saúde.

A Tenda abrigará, entre outras atividades, roda de conversa sobre “Dívida pública e planos de saúde: impactos no SUS enquanto política de proteção ambiental” e sobre “O efeito das violências sobre a saúde mental das mulheres”; vivência artístico-cultural e biodança.

A programação se estenderá até o dia 2 de agosto, quando serão eleitas as delegadas para a 2ª Conferência Nacional.

Estiveram no evento representando o SINDPREV-BA, os Diretores Valdemir Medeiros, Edivaldo Santa Rita, Ricardo Mendonça, e as Diretoras Rita de Cássia, Lucivaldina Brito e Lindalva Maria.

ASCOM SINDPREV/BA

Texto: Diretoria Colegiada

Fotos: Luis Teixeira

Post anterior

SINDPREV-BA participa ato político e cultural

Próximo post

Servidor: os riscos do PDV

sindprevbaorg

sindprevbaorg

Nenhum comentário

Deixe um comentário