CNTSS

Confederação retoma defesa dos servidores do INSS em reunião sobre gratificação de desempenho

Trabalhadores indicam a confecção de Minuta de Portaria para que não haja aplicação dos efeitos financeiros do atual 18º ciclo e os próximos 19º e 20º ciclos e a criação de GT para discutir o tema

Aconteceu na segunda-feira, 19 de março, em Brasília, na sede do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, nova reunião do CGNAD – Comitê Gestor Nacional de Avaliação de Desempenho. A pauta do encontro versou sobre os indicadores para mensuração da parcela institucional da GDASS – Gratificação de Desempenho de Atividades do Seguro Social sobre 18º e 19º ciclos de avaliação de desempenho. A reunião foi presidida pelo diretor da DGP – Diretoria de Gestão de Pessoas, Alexandre Guimarães, com representantes da DIRAT, DIRBEN e CGPGE. A CNTSS/CUT – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social foi representada por Deivid Christian dos Santos (SE) e Ronilson Francisco Nunes (DF).

O encontro de agora deu prosseguimento às discussões realizadas na reunião extraordinária do CGNAD de 07 de março, quando foram apresentadas três propostas de indicadores feitas pela Divisão de Avaliação, Cargos e Carreiras do INSS. Naquela data, os representantes do Instituto também deixaram claro que é essencial a implantação do INSS Digital. Neste sentido, os trabalhadores declararam, já naquele momento, que condições adversas para a implantação do Programa colocavam em risco a mensuração correta dos indicadores propostos pelo Instituto. O resultado daquele encontro ficou de ser levado para discussão em plenárias e encontros com os servidores das bases das entidades nacionais dos trabalhadores.

Na reunião desta segunda-feira, o diretor Alexandre Guimarães informou que o Ministério do Desenvolvimento Social e a CGU – Controladoria Geral da União estão pressionando do INSS para a definição de um índice. Os representantes da Confederação fizeram uma explanação do que foi observado sobre o tema por suas entidades durante a Plenária Nacional dos Sindicatos Federais, realizada nos dias 17 e 18 de março, em Recife (PE). Foi destacada novamente a dificuldade da construção de qualquer índice com as atuais incertezas e precarização presentes na estrutura do INSS.

A defasagem no quadro de servidores e a própria implementação do INSS Digital trazem impedimentos reais para qualquer tipo de mensuração.  Foi dito, como justificativa, a falta de um planejamento realista e de uniformidade de ações entre as Superintendências Regionais (SR) e Gerências Executivas (Gex) para o desenvolvimento do INSS Digital. Outro agravante mencionado pelos dirigentes da Confederação foi a própria inexistência de planejamento financeiro para investimento em recursos humanos e infraestrutura nas Agências. A decisão equivocada e isolada da SR1 em abrir agenda já com menor tempo foi duramente criticada por causar aumento no número de processos represados.

Foi apresentada pelos trabalhadores a necessidade de encaminhar uma Minuta de Portaria sobre GDASS para que não haja aplicação dos efeitos financeiros do atual 18º ciclo e os próximos 19º e 20º ciclos. A justificativa dada consiste no fato de que os servidores não podem arcar com decisões estratégicas equivocadas tomadas pelo governo. Também foram indicadas a criação de Grupo de Trabalho no âmbito do INSS, supervisionado pelo CGNAD, com a partição da representação os servidores para estudar os novos indicadores; e avaliação das propostas levando sempre em consideração o novo modelo de atendimento.

A Confederação também registrou o interesse em receber os quantitativos atuais das variáveis que compõem o indicador apresentando na reunião de 07 de março e o quantitativo do insucesso registrado. Foi definido que a próximo encontro se dará em 10 de abril, das 9h30 às 12 horas, também em Brasília, configurando a primeira reunião do GT de acompanhamento e discussão de indicadores para mensuração do desempenho institucional para fins de pagamento da GDASS.

Clique aqui e veja a íntegra do relatório:

Fonte: Assessoria de Imprensa da CNTSS/CUT

Post anterior

INSS apresenta nova proposta de medição da parcela institucional da GDASS

Próximo post

Aos 86 anos, Carteira de Trabalho vale menos após reformas de Temer

sindprevbaorg

sindprevbaorg

Nenhum comentário

Deixe um comentário